ODIVELAS FUTEBOL CLUBE
Edição para impressão

Artigo: Reportagem: Séniores SAD perdem nos Açores
Publicado dia 10/09/2007 às 18:23
.

A equipa do Odivelas SAD deslocou-se ao sempre muito dificil campo do OPERÁRIO (AÇORES), jogo de dificuldade máxima para a nossa equipa, com o tempo muito chuvoso, aumentando ainda mais as dificuldades para a nossa equipa.

O OPERÁRIO entrou com o sistema de 4x3x3, o ODIVELAS em 4x4x2. A equipa da casa entrou muito forte nos primeiros 15 minutos, com jogadas pelos corredores laterais, mas aos poucos, a equipa do ODIVELAS, com um jogador a mais no meio campo, foi pegando no controle do jogo acabando por ser a equipa mais ofensiva durante toda a primeira parte.

A partir dos 25 munutos do primeiro tempo, o jogo foi disputado com uma velocidade muito lenta, com muitos passes falhados por ambas as equipas. Nota positiva para os vançados do Odivelas, Semedo e Ibraima, muito rápidos nas diagonais, criando imensas dificuldades á defesa contraria.

A terminar o primeiro tempo, HELDER COSTA, numa entrada natural a um adversário junto do banco do OPERARIO, originou um pequeno conflito entre jogadores e foi preciso a entrada dos bancos das duas equipas no terreno de jogo para acalmar. Rápidamente ficou sanado o desentendimento, originando um cartão amarelo para o jogador do ODIVELAS e do OPERARIO.

No primeiro minuto do segundo tempo, Semedo tem o primeiro golo nos pés mas peca na finalização. Foi uma excelente oportunidade para o Odivelas se adiantar no marcador, numa altura em que o Odivelas a jogar com o seu losango no meio campo, entrou na segunda parte a controlar o jogo, com dominio absluto sobre o OPERARIO.

Agatão não estava satisfeito com a sua equipa, arrisca e faz uma substituição aos 14 minutos, colocando um homem mais avançado e retirando um defesa, ficando o OPERARIO a jogar com três centrais e equilibrando no meio campo. Rui Gregório muito atento na leitura do jogo, responde recuando SAMARRA para a zona central da defesa e adiantou os defesas laterais, continuando assim a manter o controle do jogo, criando lances rápidos pelos corredores laterais.

Rui Gregório substitui Semedo e faz entrar Cláudio Oeiras, o Odivelas torna-se mais lento e perde mobilidade no ataque. Semedo é um jogador irriquieto, rápido, que se antecipa aos defesas centrais, enquanto que Cláudio Oeiras é um jogador que joga fora da área e longe dos centrais, muito inteligente na leitura do jogo.

Aos 37 minutos, o Odivelas controlava o jogo e numa jogada sem perigo do ataque do Operário, João Cardoso cruza para a área, onde Márcio Santos sai ao cruzamento e sem oposição, agarra a bola, mas esta, molhada escorrega e foge para dentro das redes do Odivelas. Um grande balde de água fria, num lance de infelicidade para Marcio Santos.

Rui Gregório faz entrar Amar e manda a equipa avançar toda no terreno, mas o OPERARIO não saiu mais dentro da sua área, com o Odivelas sempre a pressionar. Infelizmente não foi possivel chegar ao empate.

Resultado muito injusto para o Odivelas, que não merecia sair dos Açores sem os três pontos. Todos os jogadores estão de parabéns pela qualidade do futebol praticado e espirito de entrega ao jogo.

Uma nota : Marcio Santos, uma palavra de carinho e o nosso reconhecimento do seu valor.

Parabéns a todos os Atletas, Técnicos, Posto Médico e Dirigentes.

Departamento de Futebol de Formação
Odivelas Futebol Clube


© Copyright (c) 2004/2018
Desenvolvido por Pedro Boléo - pboleo@gmail.com